Existem dois lugares em que o ser humano tem focado mais suas energias: o passado e o futuro, isso é um fato. Parte das pessoas tem gastado tempo pensando que poderia ter “feito alguma coisa diferente” ou “como seria se estivesse em um lugar diferente”, ou seja, focando nos arrependimentos. Outra parte gasta tempo imaginando como vai ser quando “aquilo acontecer” ou “quando tudo melhorar poderei descansar e viver tranquilamente”. No ambiente corporativo isso se agrava. Ou as pessoas estão pensando naquela proposta de emprego que poderia ter aceitado e “tudo seria diferente” ou estão pensando em “como obter de forma definitiva as 15 habilidades do futuro para que os robôs não roubem meu emprego”.

Em ambos os cenários as pessoas estão esquecendo do mais importante, o agora.

Para nós, o agora é o lugar em que de fato que devemos investir nossa energia, porque só faz sentido olhar para o passado se formos aprender com ele e só devemos pensar no futuro próximo para tomar decisões melhores no agora, e fazer que elas aconteçam.

Antes de seguir com o texto, que tal colocar uma música?

O passado é importante para aprender e o futuro nunca vai chegar!

 

Não queremos ser os donos da verdade nem dizer que tudo que você fez até agora estava errado. Queremos lhe dar uma nova perspectiva que pode ajudar as coisas a ficarem mais leves e verdadeiras. Para construir essa perspectiva não precisamos ignorar o que já aconteceu, e sim aprender com ele. Saber que não temos controle sobre o que já aconteceu, mas que todas as nossas experiências têm pontos positivos e negativos a serem extraídos. Vale da nossa maturidade como vamos aprender com o passado, não para evitar “cometer os mesmos erros”, mas nos desenvolver com eles.

Se conseguirmos não focar nos arrependimentos e aprender com nossas experiências já conseguimos dar um passo importante; o ponto é olhar para o futuro por uma perspectiva diferente. O futuro que você deseja só vai chegar se algo for feito hoje, e ficar romantizando esse futuro não contribui para que as ações de hoje reflitam em algo positivo amanhã. Até mesmo ficar dissertando sobre este tempo que ainda não veio não faz sentido, porque no mundo com tantas possibilidades que vivemos prever mudanças e criar tendências são tarefas pouco eficazes e beiram o ilusório. Aliás, até a concepção de passado-presente-futuro entre os estudiosos da física é ilusória. Então por que investir a maioria do seu tempo nesse futuro incerto?

Todo esse mar de infocalipse e “legalzices” que poderão derrubar o seu emprego só tem gerado mais pessoas ansiosas e desesperadas em se tornar o profissional do futuro que ainda não existe (e nem saberemos como será). A pergunta é: qual profissional posso ser hoje?

Planejamento é para tomar decisão no hoje, sem gerar ansiedade

 

É muito importante ressaltar que não queremos que você abrace o mantra do presente e nunca mais sonhe ou faça planejamentos. Não é isso. A conversa é sobre onde você está investindo a maior parte de sua energia. Quando aprendemos com o passado e mantemos um olhar de organização para o amanhã, conseguimos agir no hoje com mais foco e mais propensos a dar bons frutos. É fundamental que você sonhe e deseje coisas boas para você, pessoal e profissionalmente, mas viver somente nesse campo de tendências do que será do Brasil e do mundo daqui alguns anos não te leva a movimentar-se no hoje.

 

Temos uma crença que faz parte do nosso dia a dia: Vai e faz!

Ela está diretamente conectada ao que estamos falando aqui. Quando você tem poder para aprender com o passado e não está preocupado em evitar os erros a fim de alcançar uma suposta perfeição, tem autonomia para ir e fazer, sem esperar que o universo trabalhe a seu favor para tudo acontecer. Errar faz parte do processo e quando saímos do mindset de que “errar é ruim” evoluímos e nos movimentamos de forma saudável e positiva, na intensidade do agora.

Como fazemos e como você pode fazer!

 

Quando começamos a destrinchar essa ideia do hoje e do movimento aqui na Movidaria olhamos para os projetos e desafios que fizeram parte da nossa história e identificamos alguns elementos que ajudam a manter-se em movimento com foco no hoje. Assim nasceu a Espiral do Movimento, uma abordagem que ajuda o indivíduo a lidar com o descompasso entre a tecnologia e o desenvolvimento humano, uma nova perspectiva para olhar o hoje e fazer acontecer, uma nova maneira de entender a dinâmica do movimento:

 

ESTALO
O Estalo é uma faísca que muda a forma de olhar algo, gera compreensão e mexe com a emoção, evidenciando a necessidade de se movimentar. Ter um Estalo é atrelar uma formulação cognitiva a uma emoção, por meio do estímulo dos diversos canais sensoriais.

COMPROMISSO
Quando o indivíduo enxerga os benefícios do movimento e existe conforto psicológico, ele desperta a coragem para se engajar e dar o primeiro passo, criando o Compromisso. O compromisso é a compreensão das perdas e dos ganhos do movimento, ele precisa ser reforçado ao longo do movimento e celebrado ao alcançar os objetivos.

PLANO
O Plano organiza os pensamentos e emoções, gera con­fiança para que sejam dados os próximos passos e facilita a realização do movimento. O plano clareia o caminho e gera confiança para que se mergulhe de cabeça, experimentando de forma estruturada cada passo da jornada.

REDE
A Rede oferece apoio ao indivíduo nas difi­culdades do movimento e celebração nas conquistas alcançadas. Ela intensifi­ca a satisfação do indivíduo em realizar o movimento e em continuar na busca do seu objetivo. Ela também fortalece o indivíduo frente aos obstáculos externos e à autossabotagem.

 

Ao vivenciar os quatro elementos do processo, o indivíduo promove as conexões necessárias, fazendo que seus movimentos sejam cheios de energia, corajosos, estruturados e geradores de resultados. Essa abordagem, além de nos ajudar a fazer uma leitura mais aprofundada sobre os desafios que chegam dos clientes até nós, auxilia em projetos pessoais e a manter-se em movimento com foco no agora. Celebrando e aprendendo com o passado, planejando o futuro e fazendo acontecer no hoje.

Esperamos que você consiga refletir sobre os movimentos que está fazendo e sobre onde está investindo sua energia. Então: vá e faça, agora!

 

Este artigo foi escrito por Núbia Carolina, Designer de experiências da Movidaria.

Deixar um comentário