A história nos mostra que alguns acontecimentos são cíclicos e nos auxiliam a entender os movimentos e rumos do mundo. Você sabia que ficamos mais de 10 anos sem nos esbarrarmos com uma nova pandemia? Pois é, o Covid-19, como impacto social, não é novidade para uma sociedade que possui uma história com pandemias causadas pelo vírus da gripe nos últimos anos (como H1N1 e a gripe espanhola).

Não estamos aqui para trazer o que todo mundo já está falando sobre o assunto, afinal, você já deve estar sendo impactado por diversos artigos, vídeos e mensagens de especialistas e até mesmo fontes pouco confiáveis, além de informações úteis sobre o impacto de algumas medidas preventivas no ambiente de trabalho.

Como também fomos inundados por diversas informações, matérias, relatórios e mensagens no WhatsApp, ao final deste artigo, compartilhamos com você uma pequena curadoria de fontes confiáveis de conhecimento que julgamos relevantes até então. Porém, o objetivo aqui é dar um overview sobre alguns movimentos que já estão sendo observados agora, para te apoiar em suas decisões durante um momento complexo e delicado como esse.

Para toda crise, uma oportunidade.

 

O conceito de crise refere-se a uma mudança brusca ou uma alteração importante no desenvolvimento de qualquer evento/acontecimento. Já a disrupção – que se tornou uma palavra da moda – diz respeito a uma quebra ou descontinuação de um processo já estabelecido.

O que essas duas palavras têm em comum? Ambas sinalizam o movimento de pessoas, de processos, de cultura ou ainda, de competências. Conversamos com alguns parceiros e clientes sobre o momento atual e listamos 11 impactos que o Covid-19 já está trazendo (ou poderá trazer), na opinião deles:

  1. Instabilidade econômica
  2. Infocalipse
  3. Falta de gestão do tempo e de rotina (trabalho, filhos, estudo)
  4. Gestão e infraestrutura pouco preparada para o trabalho remoto
  5. Redução da capacidade produtiva
  6. Isolamento e individualismo
  7. Comunicação ruidosa
  8. Acúmulo
  9. Falta de empatia
  10. Resistência à mudança
  11. Burocracias em xeque

Esses 11 itens parecem um tanto quanto pessimistas, mas, se olharmos sob outro ângulo, compreendendo que existem movimentos culturais nas organizações que talvez tenham a oportunidade de serem acelerados, então podemos refletir sobre as soluções que podem vir para cada um deles. Confira abaixo algumas reflexões que fizemos sobre oportunidades, um olhar apreciativo, para cada um desses 11 impactos do Covid-19:

Instabilidade econômica

Olhando no retrovisor da história, em toda crise econômica surgem novas maneiras de fazer negócio. Assim nasceram as economias colaborativas, por exemplo.

Infocalipse

Para cada turbilhão de informação que recebemos e acessamos, nos tornamos mais cuidadosos em relação às fontes, mais críticos e refinamos cada vez mais nossos canais de conteúdo.

Falta de gestão do tempo e de rotina (trabalho, filhos, estudo)

Gostamos de pensar no tempo presente e, sob esse ângulo, muito do que foi pautado como “futuro do trabalho”, na verdade, já está acontecendo aqui e agora. Além de pensarmos nas tecnologias e nos formatos de trabalho, temos a oportunidade de avaliarmos melhor as relações humanas. Um RH mais presente se torna mais próximo das dificuldades dos líderes e times, mas invariavelmente se torna mais próximo de soluções também.

Gestão e infraestrutura despreparada para o trabalho remoto

Diversas plataformas, apps e serviços disponibilizaram gratuitamente suas funções, proporcionando aquelas empresas que não possuem a cultura de home office, a oportunidade de experienciar essa solução. Microsoft Teams e Google (com Hangouts Meet e Hangouts Chat, além do G Suite for Education) já podem ser baixados gratuitamente. Além disso, operadoras de celular estão aumentando a velocidade da banda larga fixa, proporcionando mais conforto para quem irá ficar mais em casa nos próximos dias.

Redução da capacidade produtiva

Grandes empresas já provisionam a redução de seus resultados, e essa é uma oportunidade para que o papel humano seja reavaliado nas organizações, aceitando o presente e planejando o futuro com muita empatia.

Isolamento e individualismo

Nos próximos dias, as pessoas ficarão mais isoladas em suas casas e isso pode trazer à tona um individualismo, uma sensação de desconexão com o mundo e com as pessoas. O aumento do trabalho remoto em equipes vem para desmistificar esse conceito, já que estaremos conectados com pessoas do mundo todo, através de ferramentas de videoconferência, mensagens, entre outras. Estar sozinho não quer dizer estar isolado.

Comunicação ruidosa

Essa dificuldade vem assolando times de todas as organizações, e não precisamos do Covid-19 para isso. É uma oportunidade de compreendermos genuinamente como nos relacionamos e que recursos podemos utilizar a partir de então.

Acúmulo

É um impacto social natural, mas seguir essa tendência é ir contra um movimento do mundo. Temos aqui uma oportunidade para adquirirmos um olhar colaborativo, de compartilhamento de informações, percepções, conteúdos, tempo, pensando mais no coletivo.

Falta de empatia

Não precisamos dizer que é uma oportunidade para olharmos para nós e para os outros, né?

Resistência à mudança

Nos últimos anos, participamos e auxiliamos diversas empresas a lidar com a mudança. Mas os benefícios percebidos para pessoas e negócios com o trabalho remoto, por exemplo, e a necessidade de seguir realizando poderão derrubar algumas crenças, julgamentos e abrir espaço para novas e oportunas formas de trabalhar e de nos relacionar nessa cultura digital que tende a se expandir nos próximos anos.

Mas e agora?

 

Estamos vivendo um momento único, onde muito se fala sobre as competências do profissional do futuro, as melhores tecnologias para um aprendizado on-line, comunicação, empatia etc. Porém, aqui na Movidaria, nos preocupamos com o hoje, com o que precisa ser feito agora. Estamos no olho do furacão, como diz nosso CEO em nosso vídeo sobre a espiral do movimento, envolvidos como CPFs e CNPJs com nossos clientes, colaboradores, amigos e famílias. Depende de nós olharmos com cautela para a situação atual e agir com presença, flexibilidade e empatia.

O hábito de mirar o amanhã está nas pautas e é sedutor, mas surgiu uma situação que nos leva a lidar com os movimentos do hoje, buscando considerar as nossas vulnerabilidades, as oportunidades que as situações de crise podem trazer e o que a história pode nos ensinar sobre nós mesmos.

Ao longo da semana vamos compartilhar mais reflexões e materiais práticos para te auxiliar nesse momento de medos e incertezas, te apoiando e gerando reflexões sobre o ambiente de trabalho que podemos construir a partir de agora; uma lógica que pode finalmente colocar o ser humano no centro do debate e enxerga a tecnologia apenas como um potente condutor das relações.

Referências e fontes confiáveis

Mortais e imprevisíveis: as últimas pandemias que assolaram o mundo – Exame

Guia de prevenção – Governo do Estado de São Paulo

Remotos para o bem – Officeless

Até breve.


 

Este artigo foi escrito por Stella Nery, Gerente de desenvolvimento da Movidaria.

Deixar um comentário

Open chat
Posso te ajudar?
Powered by